Contraste
  • Aumentar fonte
  • A+
  • Diminuir fonte
    A-

    Rua Augusta – Lisboa

    A Rua Augusta situa-se na Freguesia de Santa Maria Maior, no Bairro da Baixa de Lisboa ou Baixa Pombalina (por ter sido edificada por ordem do Marquês de Pombal), entre a Praça do Comércio (post do Brasília na Trilha) , Arco da Augusta e a Praça do Rossio (post do Brasília na Trilha).

    A Rua Augusta fica próxima da Estação de Metrô Rossio (linha verde), da Estação do Metrô do Terreiro do Paço (linha azul) e da Estação Baixa-Chiado (linha azul).

    O nome da rua homenageia a “augusta” figura de D. José I, rei de Portugal na época do terremoto de 1755. É uma rua pedonal desde os anos 1980 (com aproximadamente 550 metros), muito movimentada e cosmopolita, talvez seja a mais famosa de Lisboa. Com certeza o turista passa por ali pelo menos uma vez. Aproveite para observar o calçamento com seus mosaicos em pedra branca e preta.

    Após o terremoto que destruiu toda a Baixa, o plano de reconstrução de Lisboa estabeleceu a Rua Augusta como sua via principal. Seu traçado foi planejado em linha reta, ligando a região do Rossio à Praça do Comércio, passando por monumentos emblemáticos como o Elevador Santa Justa (na paralela Rua do Ouro) e chegando à Praça do Comércio logo após o Arco da Triunfal, mais conhecido como Arco da Augusta.

    Rua Augusta
    Rua Augusta

    Na Rua Augusta encontram-se vários restaurantes do tipo turístico, com suas mesas ao ar livre – esplanada (não experimentamos nenhum); lojas de souvenir; cafeterias; pastelarias (recomendo experimentar o pastel de nata da Manteigaria, se não o melhor, um dos melhores); bancos e ATM; farmácia; lojas famosas como a Benneton, Kiko, Stradivarius, Vans, dentre outras.

    É a principal via comercial do centro histórico. As lojas costumam abrir às 10 e fechar às 19 horas.

    Fábrica de Nata – Rua Augusta
    Comércio da Rua Augusta
    Casa Portuguesa – Rua Augusta
    Gelato Amorino – Rua Augusta

    A Rua Augusta é palco também dos artistas de rua, como as estátuas vivas e os dançarinos, mas o que mais me atrai nela são as os músicos. Há sempre um artista talentoso se apresentando. Na última viagem a Lisboa (março de 2022) tivemos o prazer de assistir uma apresentação de duas crianças e um adulto, que tocavam instrumentos de sopro em família. Os grupos de músicos estudantes universitários também costumam se apresentar ali, são chamados de Tunas.

    Em termos de arquitetura, a rua tem vários edifícios antigos, muitos com história para contar, como a Casa Macário (1913), a Sapataria e Chapelaria Lord (1941) e o Núcleo Arqueológico da Rua dos Correeiros – NARC, mantido pelo banco Millenium bcp, onde há ruínas subterrâneas que contam um pouco da história de Lisboa (infelizmente ainda não conseguimos visitá-lo). Além disso, por baixo da Rua Augusta há uma série de ruínas preservadas que podem ser visitadas. Há uma entrada para as Galerias Romanas em uma das travessas da Augusta. Ainda não tivemos oportunidade de visitá-las também. Só são abertas ao público uma vez ao ano, em setembro.

    O maior destaque da rua, no entanto, é o Arco Triunfal. Se tiver oportunidade, suba no Miradouro do Arco da Augusta para apreciar a vista 360º lá de cima.

    Ao fundo do Arco, lá no centro da Praça do Comércio, vemos a “augusta” estátua equestre do rei Dom José I.

    Arco da Augusta visto da Rua Augusta

    Arco da Augusta visto da Praça do Comércio

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Ultimas Postagens

    ver todas

      Roteiro de Bike – Passadiço Ribeirinho de Loures – Lisboa (Portugal)

      Passadiço Ribeirinho de Loures O Passadiço Ribeirinho de Loures é uma passarela de madeira, do tipo palafita, às margens do Rio Tejo, sobre uma zona de sapais e lodaçais, destinada a pedestres e bicicletas, com de 6,15 km de extensão. Começa em Bobadela, na Ponte Ciclo pedonal do Rio Trancão (a 1,5 km da Ponte Vasco da […]

        Brasília na Trilha – 10 anos

        Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos em registrar esta e outras viagens […]

          Diamantina – MG

          Brasília na Trilha – 10 anos Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos […]

            Caminhada Costeira Coogee a Bondi – Sydney (Austrália)

            Coastal Walkway (caminhada costeira) é o percurso realizado a pé pela costa leste australiana entre as praias de Coogee e a badalada Bondi ou vice-versa (links de posts do Brasília na Trilha). O trecho de uma praia à outra é de 6 km, simplesmente fantástico, imperdível. Gastamos 3 horas para percorrer todo o percurso, parando […]

              Bondi Beach – Sydney (Austrália)

              Bondi (originalmente Boondi, pronuncia-se “Bon-dai”) dá nome ao bairro e à praia, uma das mais badaladas da região metropolitana de Sydney, localizada a apenas 7 km da área central da cidade. Bondi, North Bondi e Bondi Junction têm menos de 12 mil habitantes e formam um dos maiores centros comerciais e residenciais de Sydney. Há […]

                Coogee Beach – Sydney (Austrália)

                Coogee Beach foi a terceira e última praia de Sydney que conhecemos, em nosso quarto dia de Sydney (5 de setembro de 2023). Era inverno, mas o dia estava ensolarado, ótimo para caminhar pela praia, pela calçada da orla e para percorrer a costa entre Coogee e Bondi. Estava ventando menos e foi possível ficar […]