Contraste
  • Aumentar fonte
  • A+
  • Diminuir fonte
    A-

    Sintra – Portugal

    A Vila de Sintra é a sede do município de Sintra, que por sua vez faz parte da região metropolitana de Lisboa (cerca de 30 km de distância; 45 minutos de trem); é o segundo município mais populoso de Portugal, com 385.606 habitantes no senso de 2021.

    O município de Sintra é dividido em 11 freguesias, sendo uma delas formada por Santa Maria e São Miguel, São Martinho e São Pedro de Penaferrim, oficialmente chamada de União das Freguesias de Sintra, popularmente, apenas Sintra.

    Essas denominações (vila, município, cidade, sede de município e freguesia) usando o mesmo nome, como é o caso de Sintra, parecem bem confusas, então, vou tentar explicar: o município (Sintra) é composto pelo campo ou área rural e pela cidade (Sintra), área urbana; as freguesias são a união de bairros e subdivisões do município, sendo uma delas chamada também de Sintra, e para completar, a vila, que no caso de Sintra, é a Vila de Sintra – sede do município, onde está a Câmara Municipal de Sintra. É onde se concentra um grande número de turistas.

    Para resumir, o que importa mesmo é a beleza de seus castelos, palácios e vistas incríveis. Por isso mesmo é uma das cidades mais visitadas por turistas em Portugal.

    Já estivemos em Sintra várias vezes, nas primeiras, fomos de carro e foi muito bom. Da última vez, em 2022, fomos de trem, e foi melhor ainda.

    Em 2019, o município alterou as regras de circulação de veículos no centro histórico e na serra, a fim de melhorar a circulação e a segurança. Assim, apenas carros de residentes e veículos autorizados podem transitar nesses locais. Caso esteja viajando de carro por Portugal, será preciso deixá-lo no hotel, ou estacionado nas imediações da Estação de Sintra, onde há parquímetros, por no máximo 4 horas; ou ainda em estacionamentos mais afastados (há um perto da estação Portela de Sintra e um na Praça Dom Afonso Henriques), que são gratuitos e sem limite de tempo. Dali, é possível pegar um transfer gratuito para chegar ao centro. Para visitar o Palácio da Pena ou o Castelo dos Mouros, por exemplo, pegue o ônibus 434 – Circuito Pena, no centro histórico da Vila ou vá de táxi ou de transporte por aplicativo.

    Quando for programar sua ida a Sintra é bom saber que lá tem muitos atrativos interessantes e em alguns deles, como o Parque e Palácio da Pena, você pode tranquilamente ficar por lá umas 5 horas, ou seja, não conseguirá conhecer tudo em um ou dois dias apenas. Se tiver tempo, fique por lá uns três dias.

    Se estiver em Lisboa e preferir fazer um bate e volta (ou vários) para SIntra, a melhor opção é ir de trem. Você pode pegar o trem em mais de uma estação em Lisboa, como o Cais do Sodré, Entrecampos, Rossio, Santa Apolônia e Alcântara-Mar.

    Estação de trem Entrecampos (Lisboa)
    Estação de trem de Sintra

    Chegando na Estação de Sintra, se tiver disposição, caminhe menos de 1 km até o centro da Vila de Sintra. No caminho irá passar na frente da Câmara Municipal e em seguida no Largo Dr.Gregório de Almeida onde avistará, alguns metros acima, o Palácio Nacional de Sintra. Um pouco à frente está a Igreja de São Martinho e um Posto de Turismo.

    Quase em frente ao Largo Dr. Gregório está a Rua Padarias (rua pedonal bem estreita), onde está a Casa Piriquita (aproveite para experimentar o doce tradicional da cidade, o travesseiro) e muitas lojinhas de souvenir e artesanato, além dos pequenos restaurantes.

    Continuando na rua pedonal (calçada), passará pela Fonte da Pipa e pelas Escadinhas da Fonte da Pipa e por mais lojinhas e restaurantes. No final das escadinhas está a Estrada da Pena (pegamos um transporte por aplicativo ai para irmos até o Palácio da Pena).

    Em nenhuma de nossas viagens a Sintra fizemos turismo gastronômico, apesar de lá ter alguns restaurantes renomados. Almoçamos algumas vezes na Adega das Caves, retaurante simples, com preço compatível; não é nada especial, mas nos atendeu bem. Ele está localizado antes da subida da rua pedonal das Padarias.

    • Câmara Municipal de Sintra

    Chegando à Estrada da Pena, é preciso decidir para onde prefere ir. Se for para Quinta da Regaleira é mais uma caminhada de 1 km, mas se for para o Parque e Palácio da Pena ou Castelo dos Mouros, o melhor é pegar um transporte por aplicativo, tuk tuk, táxi, van de turismo ou ônibus público. Para quem está sozinho e vai visitar mais de um local, o ônibus pode ser uma boa alternativa. Ele parte da Estação de Trem (ônibus 434) e custa 11,50 € e o ingresso vale por 24 horas.

    Já visitamos em Sintra a Quinta da Regaleira e o Parque e Palácio da Pena, os dois publicados no blog, e são atrações imperdíveis. Já visitamos também o Castelo dos Mouros, o Parque e Palácio de Monserrate, e o Palácio Nacional de Sintra, muito interessantes, mas faz tempo que os visitamos, o blog ainda não existia. Numa próxima ida a Sintra visitaremos esses locais novamente para publicarmos aqui. Outro local a ser visitado é o Parque e Palácio Biester (um pouco antes da Quinta da Regaleira), que foi inaugurado uma semana depois de nosso último passeio a Sintra (2022).

    Dois outros locais que ainda não visitamos, mas gostaríamos de conhecer são: Santuário da Peninha e Convento dos Capuchos.

    Próximo da Vila de Sintra, pertencentes ao município de Sintra, há outros pontos quase obrigatórios para se visitar: o Palácio Nacional e Jardins de Queluz e o Cabo da Roca, ambos publicados aqui no blog.

    Posts Relacionados

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Ultimas Postagens

    ver todas

      Roteiro de Bike – Passadiço Ribeirinho de Loures – Lisboa (Portugal)

      Passadiço Ribeirinho de Loures O Passadiço Ribeirinho de Loures é uma passarela de madeira, do tipo palafita, às margens do Rio Tejo, sobre uma zona de sapais e lodaçais, destinada a pedestres e bicicletas, com de 6,15 km de extensão. Começa em Bobadela, na Ponte Ciclo pedonal do Rio Trancão (a 1,5 km da Ponte Vasco da […]

        Brasília na Trilha – 10 anos

        Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos em registrar esta e outras viagens […]

          Diamantina – MG

          Brasília na Trilha – 10 anos Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos […]

            Caminhada Costeira Coogee a Bondi – Sydney (Austrália)

            Coastal Walkway (caminhada costeira) é o percurso realizado a pé pela costa leste australiana entre as praias de Coogee e a badalada Bondi ou vice-versa (links de posts do Brasília na Trilha). O trecho de uma praia à outra é de 6 km, simplesmente fantástico, imperdível. Gastamos 3 horas para percorrer todo o percurso, parando […]

              Bondi Beach – Sydney (Austrália)

              Bondi (originalmente Boondi, pronuncia-se “Bon-dai”) dá nome ao bairro e à praia, uma das mais badaladas da região metropolitana de Sydney, localizada a apenas 7 km da área central da cidade. Bondi, North Bondi e Bondi Junction têm menos de 12 mil habitantes e formam um dos maiores centros comerciais e residenciais de Sydney. Há […]

                Coogee Beach – Sydney (Austrália)

                Coogee Beach foi a terceira e última praia de Sydney que conhecemos, em nosso quarto dia de Sydney (5 de setembro de 2023). Era inverno, mas o dia estava ensolarado, ótimo para caminhar pela praia, pela calçada da orla e para percorrer a costa entre Coogee e Bondi. Estava ventando menos e foi possível ficar […]