Contraste
  • Aumentar fonte
  • A+
  • Diminuir fonte
    A-

    Teatro Nacional de São Carlos – Lisboa (Portugal)

    Teatro Nacional de São Carlos – TNSC está localizado na Freguesia de Santa Maria Maior, no Bairro do Chiado, um dos bairros mais emblemáticos de Lisboa, no Largo de São Carlos, entre as Ruas Serpa Pinto e Paiva de Andrade. O Teatro está em frente ao apartamento onde nasceu o poeta Fernando Pessoa (4º andar).

    Largo de São Carlos
    Teatro Nacional de São Carlos – Largo de São Carlos
    Edifício onde nasceu o Poeta Fernando Pessoa (4º andar) – Largo de São Carlos

    A melhor forma de se chegar ao Teatro é de metrô pela Estação Baixa-Chiado (linha azul e linha verde), a apenas 150 metros, mas atenção: a estação tem saída pela Baixa e pelo Chiado. Para sair no Chiado suba a impressionante e extensa escada rolante (esta é a estação de metrô mais profunda de Lisboa). Outra forma de ir para o Teatro é utilizando o elétrico que passa pela Praça Camões (ela está apenas 300 metros do Teatro), ou taxi ou tranporte por aplicativo, preferimos ir a pé, pois há muito a se apreciar na região:

    Praça Luís de Camões; Museu Nacional de Arte Contemporânea (Museu do Chiado), ao lado do Teatro São Carlos; várias igrejas – Convento de São Pedro de Alcântara, Nossa Senhora da Encarnação, Basílica de Nossa Senhora dos Mártires, Nossa Senhora do Loreto, São Roque; Livraria Bertrand; Café a Brasileira (onde está a estátua de Fernando Pessoa); Miradouro de Santa Catarina; Miradouro de São Pedro de Alcântara; Museu de Arte Sacra de São Roque; entre outros pontos (todos os links são do Brasília na Trilha).

    O TNSC foi construído entre 1792 e 1793 por empresários lisboetas, no período da reconstrução pombalina, para substituir o Teatro Ópera do Tejo, que foi destruído no terremoto de 1755. O Teatro foi inaugurado pelo Príncipe Regente D. João, em homenagem a Carlota Joaquina, a jovem princesa que se casara em 1785 com o príncipe e futuro rei D. João VI, com a Ópera La Ballerina amante de Domenico Cimarosa. Ele foi projetado pelo Arquiteto José da Costa e Silva, destacando elementos neoclássicos e rococó.

    O Teatro mantém até hoje sua vocação inicial, ou seja, produção e apresentação de ópera, concertos sinfônicos e coral-sinfônicos, sendo o único teatro em Portugal neste seguimento.

    A sala de espetáculos é um espaço aristocrático e hierarquizado, com cinco níveis de camarotes e uma tribuna real de rara imponência, sem paralelo em teatros públicos desde o século XVIII. Ela tem formato elíptico e foi decorada pelo italiano Giovanni Appianni. O teto foi pintado por Manuel da Costa e por Cirilo Wolkmar Machado.

    A iluminação da sala de espetáculos passou por diversas fases, sendo que antes de 1850, a iluminação do interior era feita por um grande lustre de azeite e candelabros e lustres dispostos ao longo da sala. Depois, veio a iluminação a gás, e só em 1887, a mais recente tecnologia disponível, a iluminação elétrica.

    Na visita, passamos por todos os ambientes do Teatro: corredores e escadarias, a belíssima sala de espetáculos (Sala Principal onde visitamos a Tribuna Real, o palco, os camarotes e o piso onde estão as poltronas), os camarins, o Salão Nobre e o Foyer (onde iniciamos nossa visita). Tivemos a oportunidade de observar o palco de vários ângulos, das poltronas, dos camarotes e da tribuna real.

    A visita ao Teatro Nacional de São Carlos é guiada e paga, leva em torno de uma hora. As reservas devem ser feitas pelo e-mail visitas@saocarlos.pt.

    O TNSC apresenta uma programação musical regular e utiliza três espaços distintos:

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Ultimas Postagens

    ver todas

      Roteiro de Bike – Passadiço Ribeirinho de Loures – Lisboa (Portugal)

      Passadiço Ribeirinho de Loures O Passadiço Ribeirinho de Loures é uma passarela de madeira, do tipo palafita, às margens do Rio Tejo, sobre uma zona de sapais e lodaçais, destinada a pedestres e bicicletas, com de 6,15 km de extensão. Começa em Bobadela, na Ponte Ciclo pedonal do Rio Trancão (a 1,5 km da Ponte Vasco da […]

        Brasília na Trilha – 10 anos

        Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos em registrar esta e outras viagens […]

          Diamantina – MG

          Brasília na Trilha – 10 anos Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos […]

            Caminhada Costeira Coogee a Bondi – Sydney (Austrália)

            Coastal Walkway (caminhada costeira) é o percurso realizado a pé pela costa leste australiana entre as praias de Coogee e a badalada Bondi ou vice-versa (links de posts do Brasília na Trilha). O trecho de uma praia à outra é de 6 km, simplesmente fantástico, imperdível. Gastamos 3 horas para percorrer todo o percurso, parando […]

              Bondi Beach – Sydney (Austrália)

              Bondi (originalmente Boondi, pronuncia-se “Bon-dai”) dá nome ao bairro e à praia, uma das mais badaladas da região metropolitana de Sydney, localizada a apenas 7 km da área central da cidade. Bondi, North Bondi e Bondi Junction têm menos de 12 mil habitantes e formam um dos maiores centros comerciais e residenciais de Sydney. Há […]

                Coogee Beach – Sydney (Austrália)

                Coogee Beach foi a terceira e última praia de Sydney que conhecemos, em nosso quarto dia de Sydney (5 de setembro de 2023). Era inverno, mas o dia estava ensolarado, ótimo para caminhar pela praia, pela calçada da orla e para percorrer a costa entre Coogee e Bondi. Estava ventando menos e foi possível ficar […]