Contraste
  • Aumentar fonte
  • A+
  • Diminuir fonte
    A-

    Igreja de Santa Maria de Belém – Lisboa (Portugal)

    A Igreja de Santa Maria de Belém está localizada na Freguesia de Belém, junto ao Mosteiro dos Jerônimos e em frente à Praça do Império. Saiba mais.

    Infelizmente, a região de Belém não é atendida por metrô. As opções de transporte são ônibus, o elétrico 15 (sai da Praça da Figueira, Praça do Comércio e Cais do Sodré), trem (na Estação Cais do Sodré pegar a Linha Cascais, e descer na Estação Belém), taxi ou ainda de tranporte por aplicativo (app). Todas as vezes que fomos para Belém fomos de carro, app de transporte ou carro alugado (que já comentei aqui no blog, que não recomendo para Lisboa).

    Quando programar sua visita à Igreja de Santa Maria de Belém não se esqueça que Belém é repleta de locais para conhecer e com certeza precisará de uns três dias para conhecer o principal.

    Interior da Igreja
    Fachada: à direita, a igreja; à esquerda, o Mosteiro

    No ano de 1496, D. Manuel mandou dar início à construção da Igreja. Diogo Boitaca (1450-1517) foi o mestre escolhido para desenhar o conjunto arquitetônico (igreja, claustro, dormitórios, oficinas, refeitório e palácio real), obra projetada segundo as linhas do gótico final português, que no séc. XIX passou a ser chamado de “manuelino”. Em 1517, o mestre João de Castilho reformulou o projeto e introduziu elementos da nova linguagem arquitetônica renascentista. Após a morte do rei, o seu sucessor, D. João III, chamou Diogo de Torralva (1540-1551) para orientar os trabalhos. Era vontade de D. Manuel que a nova Igreja continuasse a prestar assistência espiritual aos viajantes que passavam pelas praias do Restelo. Era também sua vontade que nela repousassem seus restos mortais e os de seus descendentes. Para desempenhar estas missões, o monarca chamou os monges da Ordem de São Jerônimo, do Mosteiro da Penha Longa, perto de Sintra, que lá permaneceram até 1833, um ano antes do decreto de extinção das ordens religiosas em Portugal. O lançamento da primeira pedra foi no dia 6 de janeiro de 1501 (ou 1502, não sabem ao certo) – Dia de Reis. 

    Portal Sul (a entrada da Igreja às vezes é por este Portal, às vezes pela entrada ao lado da entrada do Mosteiro)
    Coro-alto
    Capela lateral
    Capela lateral
    Capela lateral

    A Igreja de Santa Maria de Belém é uma igreja com planta em cruz latina, o que significa que a nave principal apresenta um maior comprimento em relação ao transepto. Logo na entrada encontram-se os túmulos de Camões (à direita) e de Vasco da Gama (à esquerda). Na parte esquerda do transepto estão os túmulos do Cardeal-Rei D. Henrique e os dos filhos de D. Manuel I. No braço direito do transepto encontra-se o túmulo do Rei D. Sebastião e dos descendentes de D. João III. Na capela-mor estão os túmulos de D. Manuel e de sua mulher, D. Maria, de D. João III e de D. Catarina.

    Altar-mor
    Altar-mor

    Essa questão dos túmulos nas igrejas sempre me despertou curiosidade. Pelas pesquisas que fiz entendi que nem sempre os restos mortais das personalidades estão nos locais indicados, muitas vezes, trata-se apenas de uma homenagem.

    Túmulo de Vasco da Gama
    Túmulo de Camões

    A visita à Igreja é gratuita, menos para o coro alto, que tem acesso pelo Mosteiro, que é pago. Horários de visitação da Igreja.

    Interior da igreja vista do Coro alto (a entrada para o Coro alto é pelo Mosteiro e é paga)

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Ultimas Postagens

    ver todas

      Roteiro de Bike – Passadiço Ribeirinho de Loures – Lisboa (Portugal)

      Passadiço Ribeirinho de Loures O Passadiço Ribeirinho de Loures é uma passarela de madeira, do tipo palafita, às margens do Rio Tejo, sobre uma zona de sapais e lodaçais, destinada a pedestres e bicicletas, com de 6,15 km de extensão. Começa em Bobadela, na Ponte Ciclo pedonal do Rio Trancão (a 1,5 km da Ponte Vasco da […]

        Brasília na Trilha – 10 anos

        Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos em registrar esta e outras viagens […]

          Diamantina – MG

          Brasília na Trilha – 10 anos Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos […]

            Caminhada Costeira Coogee a Bondi – Sydney (Austrália)

            Coastal Walkway (caminhada costeira) é o percurso realizado a pé pela costa leste australiana entre as praias de Coogee e a badalada Bondi ou vice-versa (links de posts do Brasília na Trilha). O trecho de uma praia à outra é de 6 km, simplesmente fantástico, imperdível. Gastamos 3 horas para percorrer todo o percurso, parando […]

              Bondi Beach – Sydney (Austrália)

              Bondi (originalmente Boondi, pronuncia-se “Bon-dai”) dá nome ao bairro e à praia, uma das mais badaladas da região metropolitana de Sydney, localizada a apenas 7 km da área central da cidade. Bondi, North Bondi e Bondi Junction têm menos de 12 mil habitantes e formam um dos maiores centros comerciais e residenciais de Sydney. Há […]

                Coogee Beach – Sydney (Austrália)

                Coogee Beach foi a terceira e última praia de Sydney que conhecemos, em nosso quarto dia de Sydney (5 de setembro de 2023). Era inverno, mas o dia estava ensolarado, ótimo para caminhar pela praia, pela calçada da orla e para percorrer a costa entre Coogee e Bondi. Estava ventando menos e foi possível ficar […]