Contraste
  • Aumentar fonte
  • A+
  • Diminuir fonte
    A-

    Igrejas – Santiago (Chile)

    As igrejas sempre são atrações obrigatórias em nossas viagens e em Santiago não foi diferente. Igrejas e templos ajudam a contar a história do local e, geralmente, são ricas em arte e arquitetura. No Brasil e em alguns países da Europa e da América do Sul, predominam as igrejas católicas e elas são maioria no Chile também.

    Visitamos cinco igrejas em Santiago: Basilica de la Merced, Catedral Metropolitana de Santiago, Igreja de Santo Agostinho, Igreja de São Francisco e o Santuário de Nossa Senhora de Lourdes. Conhecemos outras apenas por fora, pois estavam fechadas, uma delas a poucos metros do nosso hotel.

    Exceto o Santuário de Lourdes, as outras quatro igrejas, são bem próximas umas das outras, podendo ser visitadas em um único período. Elas estão localizadas na região central da cidade, onde estão também o Cerro Santa Lúcia e a Praça de Armas de Santiago. O hotel Capital Bellet onde nos hospedamos está a aproximadamente 3 km da região.  Uma opção de transporte até esta região é de metrô. Tem três estações próximas: Bellas Artes, Santa Lúcia e Universidade do Chile. Já as estações próximas do Santuário de Lourdes são a Gruta de Lourdes e a Quinta Normal.

    A entrada em todas as igrejas é gratuita.

    Basilica de la Merced

    A Basilica de la Merced é muito bonita por dentro e por fora, vale a pena visitá-la. Seu exterior tem uma cor terracota, bem diferente das igrejas que já visitamos.

    Basilica de la Merced (Basílica das Mercês)

    A Virgem Maria, sob o título de Mercês ou Misericórdia, passou a ser adorada no Chile quando os primeiros religiosos chegaram a Santiago em 1548. Foi o Padre Antônio Corrêa quem trouxe a imagem de Nossa Senhora da Misericórdia para Santiago. A Igreja foi elevada à Basílica Menor em 23 de julho de1922 pelo Papa Pio XI e declarada Patrimônio Histórico do País em 1977.

    No local da Basílica atual já existiram dois outros templos: o primeiro, construído entre 1556 e 1565, foi destruído no terremoto de 13 de maio de 1647; o segundo, construído lentamente, foi destruído no terremoto de 1730; e o terceiro, o atual, data de 1795.

    No altar-mor está a imagem de Nossa Senhora da Misericórdia, padroeira da Basílica. Um dos altares laterais é bem procurado pelos fiéis, o de Santo Expedito.

    Ao lado da Basílica está um pequeno museu. Infelizmente não visitamos porque não o percebemos, uma pena.

    Catedral Metropolitana de Santiago

    A Catedral Metropolitana de Santiago é a sede da Arquidiocese de Santiago e o principal templo católico romano no país. Localiza-se na Plaza de Armas de Santiago e forma um conjunto arquitetônico com o Palácio Arcebispal, sendo ambos considerados Monumentos Nacionais do Chile. Ao redor da Praça estão vários outros belos edifícios a serem admirados, além, é claro, da própria Praça de Armas.

    Catedral Metropolitana de Santiago

    Atenção: a região é bem movimentada e conta com a infeliz presença de batedores de carteira. Fui roubado na região entre a Praça de Armas e o Mercado, mas não é por este motivo que não deva conhecer o local, o importante é ter cuidado, principalmente com celulares e colares.

    Pedro de Valdivia, fundador de Santiago, definiu o espaço onde a igreja seria construída. Os especialistas discutem se o templo atual é o terceiro, quinto ou sétimo localizado ali. A ação do homem, o fogo, os terremotos e até o inundações do Rio Mapocho destruíram ou afetaram gravemente as construções. A atual, em estilo predominante neoclássico, foi iniciada no governo de Domingo Ortiz de Rozas, em 1748, sendo consagrada em 1775. Somente em 1800 foi totalmente concluída, com a construção das torres.

    Entre 2005 e 2006, o altar-mor e a cripta da Catedral foram restaurados. Durante as obras, foram encontrados os restos mortais de Diego Portales – umas das figuras proeminentes da formação da República chilena.

    Em novembro de 2023, quando a visitamos, a igreja estava passando por nova restauração.

    Ao entrar, coroando a nave central, podemos contemplar a imagem de Nossa Senhora da Assunção. Logo à esquerda está a capela do Santíssimo, que parece uma outra igreja, pois é bem grande.

    Capela do Santíssimo – Catedral Metropolitana do Chile
    Capela do Santíssimo – Catedral Metropolitana do Chile

    O site da Catedral tem muitas informações, além de um tour virtual e um vídeo com a história (evolução da construção) da Catedral até os tempos atuais. Quando for à Catedral, utilize o áudio guia para obter mais informações sobre os altares por meio de QR codes fixados nos locais.

    Iglesia de San Francisco

    A Iglesia de San Francisco (Igreja de São Francisco) é uma igreja franciscana, e, juntamente com o convento adjacente, são os edifícios mais antigos do Chile. Eles resistiram a cerca de 15 terremotos de magnitude superior a 7 graus na escala Richter, embora a primeira torre sineira tenha sido destruída no terremoto em 1647, e reconstruída e danificada novamente no terremoto de 1730. A torre atual, de arquitetura vitoriana, foi construída em meados do século XIX. A fachada principal foi remodelada três vezes. 

    Igreja de São Francisco

    A igreja foi consagrada em 1622. No início do século XX, uma parte do convento foi vendido e demolido para a construção do bairro Paris-Londres e a outra parte é a atual sede do Museu Colonial (não visitamos).

    A planta original da igreja era em cruz latina e foi modificada com a adição de corredores laterais, resultando em uma planta retangular. O teto de 1615 tem estilo mudéjar.

    Igreja de São Francisco

    No altar, você pode ver uma imagem entalhada da Virgen del Socorro (Nossa Senhora do Perpétuo Socorro). A estátua pertencia a Pedro de Valdivia, fundador de Santiago, que acreditava que ela o protegia durante suas cruzadas.

    Iglesia San Agustín

    A Iglesia San Agustín (Igreja de Santo Agostinho) é propriedade da Ordem de Santo Agostinho. É a segunda igreja mais antiga do Chile. A primeira igreja de Santo Agostinho foi construída em 1608, mas foi reconstruída após o grande terremoto de 1647 e restaurada novamente após o terremoto ocorrido em 1730. Seus estilos arquitetônicos são o barroco colonial espanhol e neoclássico.

    A fachada principal atual foi refeita por Fermín Vivaceta em 1850., em estilo neoclássico. 

    Fachada da Igreja de Santo Agostinho

    Na igreja há uma imagem do Senhor da Agonia, também conhecido como Cristo de Maio. Segundo a lenda local, a coroa de espinhos em volta da cabeça da estátua escorregou até o pescoço durante o terremoto de 1647. Quando alguém tentou mover a coroa de volta para a cabeça da imagem, o rosto de Cristo começou a sangrar e o chão começou a tremer. A coroa permaneceu, assim, intocada em volta do pescoço da estátua. 

    Igreja de Santo Agostinho – Cristo crucificado

    Há também um altar dedicado a Santa Rita de Cássia, que contém uma relíquia da santa – um pequeno pedaço de seu osso.

    Santuário de Lourdes – Basílica e Gruta

    A Gruta e a Basílica formam o Santuário de Lourdes. Entre elas há um calçadão com uma feira de artigos religiosos, que começa em frente a um dos portões do Parque Quinta Normal. Para chegar até o Santuário, uma boa opção é o metrô, descendo em uma das estações – Gruta de Lourdes ou Quinta Normal (que é a melhor opção para conhecer o Parque Quinta Normal).

    Calçadão entre a Basílica e a Gruta – portão do Parque Quinta Normal
    Feira de artigos relegiosos no calçadão

    Para saber os horários de visitação ao Santuário, das missas e de funcionamento da loja, clique aqui.

    O primeiro templo dedicado à Nossa Senhora de Lourdes, no Chile, data de 1893, tendo sido substituído pela atual Basílica, planejada na década de 1930. Projetada pelos arquitetos Eduardo Costabal e Andrés Garafulic, em estilo neobizantino. Possui 650 m2 de vitrais e a base da cúpula principal é cercada por 16 estátuas de profetas, obra da escultora Lily Garafulic.

    A Gruta de Lourdes, inaugurada em 1908, é uma réplica da gruta onde ocorreram as aparições de Lourdes em 1858, na cidade de Lourdes, na França. A gruta é uma reprodução quase idêntica da cena das aparições, com estátuas de Nossa Senhora de Lourdes e Bernadette Soubirous. Ao lado da gruta tem painéis de azulejo retratando as aparições de Nossa Senhora para Bernadette. Próxima da gruta também tem uma imagem da Santa Bernadette.

    A historia conta que no dia 11 de fevereiro de 1858, Bernadette Soubirous, então com 14 anos, estava catando lenha com sua irmã Toinette e uma amiga perto da gruta de Massabielle (Tuta de Massavielha) quando teve sua primeira visão da Virgem em um nicho da gruta. Esta foi a primeira das 18 visões que teve da imagem que se identificou como a Imaculada Conceição. Muitas investigações foram feitas pela igreja até que Bernadette fosse beatificada pelo Papa Pio XI em 14 de junho de 1925 e canonizada em 8 de dezembro de 1933. Há mais de 150 anos seu corpor permanece intacto, intrigando a igreja e atraindo turistas e fieis católicos.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Ultimas Postagens

    ver todas

      Roteiro de Bike – Passadiço Ribeirinho de Loures – Lisboa (Portugal)

      Passadiço Ribeirinho de Loures O Passadiço Ribeirinho de Loures é uma passarela de madeira, do tipo palafita, às margens do Rio Tejo, sobre uma zona de sapais e lodaçais, destinada a pedestres e bicicletas, com de 6,15 km de extensão. Começa em Bobadela, na Ponte Ciclo pedonal do Rio Trancão (a 1,5 km da Ponte Vasco da […]

        Brasília na Trilha – 10 anos

        Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos em registrar esta e outras viagens […]

          Diamantina – MG

          Brasília na Trilha – 10 anos Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos […]

            Caminhada Costeira Coogee a Bondi – Sydney (Austrália)

            Coastal Walkway (caminhada costeira) é o percurso realizado a pé pela costa leste australiana entre as praias de Coogee e a badalada Bondi ou vice-versa (links de posts do Brasília na Trilha). O trecho de uma praia à outra é de 6 km, simplesmente fantástico, imperdível. Gastamos 3 horas para percorrer todo o percurso, parando […]

              Bondi Beach – Sydney (Austrália)

              Bondi (originalmente Boondi, pronuncia-se “Bon-dai”) dá nome ao bairro e à praia, uma das mais badaladas da região metropolitana de Sydney, localizada a apenas 7 km da área central da cidade. Bondi, North Bondi e Bondi Junction têm menos de 12 mil habitantes e formam um dos maiores centros comerciais e residenciais de Sydney. Há […]

                Coogee Beach – Sydney (Austrália)

                Coogee Beach foi a terceira e última praia de Sydney que conhecemos, em nosso quarto dia de Sydney (5 de setembro de 2023). Era inverno, mas o dia estava ensolarado, ótimo para caminhar pela praia, pela calçada da orla e para percorrer a costa entre Coogee e Bondi. Estava ventando menos e foi possível ficar […]