Contraste
  • Aumentar fonte
  • A+
  • Diminuir fonte
    A-

    Londres 2023 (Inglaterra)

    Famosa Cabine Telefônica de Londres

    Este post é da viagem de nossa filha realizada em 2023.

    A primeira vez que fui a Londres foi em 2019, as informações desta viagem estão no post Mochilão na Europa aqui no blog.

    Mas dessa vez, em 2023, o Brasília na Trilha viajou de Lisboa a Londres na companhia de nossa maior fã e amiga. A viagem foi uma escapadinha de fim de semana para aproveitar alguns dos poucos dias de sol que acontecem por ano na capital inglesa.

    Ao se tratar de Londres, fique atento pois são várias opções de aeroportos. A maioria deles é distante do centro da cidade e você precisará pegar trem ou ônibus se não quiser gastar muito para pagar um táxi ou um transporte por aplicativo (muitas viagens chegam a 600 reais). 

    Tenha em conta também que o transporte público em Londres não é barato, então adicione ao orçamento cerca de 15 libras só para se deslocar do aeroporto, pois é aproximadamente o que você vai gastar para chegar até o centro da cidade. Se você pretende utilizar bastante os transportes, pode ser que compense pagar 7 libras para comprar um Oyster Card. Esse cartão pode ser adquirido nas próprias máquinas do metrô, e com ele, o seu gasto máximo diário é de 8 libras. Depois que você atingir esse valor, poderá continuar rodando sem pagar nada a mais. No final da sua viagem, é possível pegar o reembolso do valor que tiver sobrado no cartão (nesse caso ele fica automaticamente cancelado) ou então guardar o cartão para uma próxima visita, visto que ele não tem data de validade. Se você optar por andar mais a pé, talvez o ideal seja comprar bilhetes únicos.

    Em uma sexta no final de junho, chegamos pela manhã no Aeroporto London Gatwick, ótima opção. É possível pegar o trem Gatwick Express que vai para a estação Victoria em Londres, mas optamos por pegar outro trem que é o da empresa Thameslink, pois ele fazia várias paradas, incluindo a London Blackfrairs que ficava mais perto do nosso hotel. Escolhemos o Ibis London Blackfriars, uma das opções com melhor custo benefício que encontrei e ótima localização.

    Estação Blackfriars

    Deixamos as malas no hotel e fomos explorar os arredores. Comemos uma comida de rua tailandesa próximo ao Ibis. Depois, caminhamos até a beira do Rio Tâmisa e fomos ao TATE Modern, famoso museu de arte moderna. A entrada é gratuita, então aproveitamos para já dar uma olhada. Ouvi dizer que a vista do décimo andar é linda, mas infelizmente o acesso estava fechado e não sei se voltará a abrir para o público.

    Rio Tâmisa
    Rio Tâmisa
    • Comida de rua Tailandesa

    Depois da visita ao museu voltamos para o hotel para descansar um pouco e tomar um banho e saímos para jantar no restaurante Zizzi, ambiente super agradável, que fica no St. Katherine Docks. Foi uma ótima opção para passar o fim do dia ao ar livre. Na caminhada até o restaurante e depois de volta para o hotel, pudemos ver de perto alguns pontos principais do roteiro turístico de Londres, como o enorme The Shard, o HMS Belfast (navio de guerra), a lindíssima Tower Bridge e a London Bridge.

    • Tower Bridge

    Depois de uma boa noite de sono optamos por fazer um roteiro mais turístico, que não pode ficar de fora da sua visita a Inglaterra. Saímos do hotel a pé em direção ao ilustre Big Ben. No caminho, passamos pelo Leake Street Arches, que é um túnel com grafites de diversos artistas. Infelizmente, também há muita pichação, o que acaba por descaracterizar a ideia do local, mas como era caminho, valeu a pena conhecer. 

    Caminho para o Big Ben
    Caminho para o Big Ben
    Leake Street Arches
    Leake Street Arches
    Leake Street Arches
    Leake Street Arches

    Depois de caminhar mais um pouco já pudemos avistar de um lado do rio a emblemática London Eye e do outro o Big Ben e o Westminster Palace. Aproveite antes de atravessar a ponte de Westminster para tirar fotos com o palácio e o relógio ao fundo.

    Big Ben e Palácio de Westminster
    • Westminster Palace

    Ao atravessar a ponte se prepare para um dos lugares mais cheios da cidade, o que não foi um grande problema pois só estávamos de passagem para ver a Westminster Abbey e logo seguimos em direção ao Buckingham Palace. Nessa região, se estiver com tempo, aproveite para passear pelo Saint James’ Park e pelo Hyde Park. Nós seguimos direto para o Green Park, onde pegamos o metrô da linha Jubilee para visitarmos a casa de uma amiga que mora em Willesden. Além disso, se quiser pode pagar para visitar o palácio por dentro, imagino que seja magnífico. Caso consiga se programar, é possível também ver a troca da guarda real.

    Westminster Abbey
    Westminster Abbey
    Buckingham Palace
    Portão do Hyde Park
    Buckingham Palace
    Bairro de Willesden
    Bairro de Willesden

    No fim do dia, fomos para a região onde fica o Covent Garden e a Royal Opera House. Por lá há várias opções de restaurantes e pubs, então é um ótimo local para almoçar ou jantar.

    Royal Opera House
    Covent Garden
    Hamburgueria Shake Shack
    Covent Garden
    Rio Tâmisa

    No domingo, optamos por visitar East London, uma parte menos turística da cidade, mas muito badalada pelos locais. Por lá almoçamos no Toconoco, e seguimos em direção ao Columbia Flower Market passeando a pé pela beira do Regent’s Canal. No caminho passamos pelo parque Haggerston e chegamos no mercado de rua pouco antes de fechar (só abre no domingo das 8 às 15 horas). Seguimos para a movimentada Brick Lane e pela antiga Truman Brewery, onde ocorrem também mercados de rua e depois fomos até o Spitalfields Market. Essa região toda é repleta de feirinhas, com comida de rua, venda de peças vintage e uma enorme diversidade cultural. Definitivamente, um passeio que valeu a pena. Na volta para o hotel pegamos um ônibus e ao descermos passamos também pelo Borough Market, que infelizmente já estava fechando. Depois de descansarmos um pouco, seguimos de metrô para o Piccadilly Circus, fomos dar uma volta no bairro Soho e comer o prato típico inglês, fish and chips, no restaurante tradicional Poppies, que recomendo muito. Depois do jantar também demos uma voltinha por Chinatown e fomos no Waxy O’connor’ s London Pub.

    • Café japonês Toconoco
    Piccadilly Circus
    Chinatown
    Chinatown

    No último dia, optamos por não ir muito tarde para o aeroporto mesmo nosso voo sendo só às 18h45. Passeamos um pouco pelas imediações do hotel e depois pegamos dois metrôs para chegar ao Aeroporto Heathrow

    Passamos pela Millennium Bridge, onde poucas pessoas notam, mas há pequenas pinturas do artista inglês Ben Wilson nos chicletes que foram jogados no chão e ficaram grudados. Da ponte, é possível já avistar a bela St. Paul’s Cathedral. Uma dica é entrar no shopping One New Change, pegar o elevador e ir para o rooftop, onde você terá uma bela vista da igreja. Infelizmente, quando fomos lá estava fechado. Para finalizar o passeio comemos na Casa de Panquecas Holandesas My Old Dutch, que tem promoção às segundas-feiras. De lá, voltamos ao hotel para pegar as malas e em seguida o Metrô Jubilee na estação Southwark (perto do hotel) em direção a Wembley Park. Descemos então na estação Bond Street e trocamos para a Elizabeth Line com sentido ao Aeroporto Heathrow. É importante ficar atento ao número do terminal do seu voo, visto que este aeroporto tem cinco terminais, com diferentes estações de metrô.

    • Millennium Bridge

    Por fim, só um fim de semana em Londres é muito pouco para tudo o que a cidade oferece. É uma infinidade de pontos turísticos, museus, restaurantes e diversas atrações para conhecer. Dessa vez, esse foi o roteiro escolhido, mas sempre recomendamos pesquisar com antecedência, pois a cidade oferece muitas opções, para todos os gostos, bolsos e estilos, e inúmeras possibilidades de roteiros.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Ultimas Postagens

    ver todas

      Roteiro de Bike – Passadiço Ribeirinho de Loures – Lisboa (Portugal)

      Passadiço Ribeirinho de Loures O Passadiço Ribeirinho de Loures é uma passarela de madeira, do tipo palafita, às margens do Rio Tejo, sobre uma zona de sapais e lodaçais, destinada a pedestres e bicicletas, com de 6,15 km de extensão. Começa em Bobadela, na Ponte Ciclo pedonal do Rio Trancão (a 1,5 km da Ponte Vasco da […]

        Brasília na Trilha – 10 anos

        Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos em registrar esta e outras viagens […]

          Diamantina – MG

          Brasília na Trilha – 10 anos Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos […]

            Caminhada Costeira Coogee a Bondi – Sydney (Austrália)

            Coastal Walkway (caminhada costeira) é o percurso realizado a pé pela costa leste australiana entre as praias de Coogee e a badalada Bondi ou vice-versa (links de posts do Brasília na Trilha). O trecho de uma praia à outra é de 6 km, simplesmente fantástico, imperdível. Gastamos 3 horas para percorrer todo o percurso, parando […]

              Bondi Beach – Sydney (Austrália)

              Bondi (originalmente Boondi, pronuncia-se “Bon-dai”) dá nome ao bairro e à praia, uma das mais badaladas da região metropolitana de Sydney, localizada a apenas 7 km da área central da cidade. Bondi, North Bondi e Bondi Junction têm menos de 12 mil habitantes e formam um dos maiores centros comerciais e residenciais de Sydney. Há […]

                Coogee Beach – Sydney (Austrália)

                Coogee Beach foi a terceira e última praia de Sydney que conhecemos, em nosso quarto dia de Sydney (5 de setembro de 2023). Era inverno, mas o dia estava ensolarado, ótimo para caminhar pela praia, pela calçada da orla e para percorrer a costa entre Coogee e Bondi. Estava ventando menos e foi possível ficar […]