Contraste
  • Aumentar fonte
  • A+
  • Diminuir fonte
    A-

    Rota do Café – São Lourenço – MG

    A Rota do Café é um passeio promovido pelo Café Unique, que na realidade é mais que um passeio: é cultura, gastronomia e contato com a natureza.

    O Café Unique torra, embala e comercializa cafés especiais, além de manter no local uma agradável Cafeteria, onde a gente pode degustar vários cafés da marca e comprar os que mais gostar para levar para casa. Ela fica na Via Othon de Carvalho, 1020 – Vale dos Pinheiros, São Lourenço – MG, na saída para Carmo de Minas.

    Antes mesmo de contar como foi nossa experiência nessa Rota do Café, registro abaixo algumas informações para compreendermos melhor as diferenças entre os cafés.

    O Brasil é o maior exportador de café e o segundo maior consumidor da bebida no mundo. Apesar disso, sabemos pouco sobre a fruta, que é avaliada no mercado como o vinho e o azeite, por exemplo, conforme a espécie, a região de cultivo, o cuidado durante e após a colheita, a torra, e também por suas características sensoriais. Os principais tipos de café produzidos no Brasil são o arábica e o conilon da espécie robusta (coffea canephora).

    O café é dividido por categorias, conforme a nota que recebe por sua qualidade: tradicional, gourmet e especial:

    Depois de provar o café Especial, acredite, será difícil tomar outro café.

    Feitas as apresentações, podemos começar a descrever o nosso passeio, que tem como foco o Café Arábica Especial da Unique, que oferece algumas experiências dentro da Rota do Café:

    Para conhecer mais sobre cada uma dessas experiências entre no site da Unique e faça sua reserva.

    Nossa experiência foi a “Do Pé à Xícara – em veículo 4×4”, muito confortável, para 7 pessoas – 6 turistas mais o Fabiano (@fabianobarista), especialista no assunto, que conduziu o grupo dirigindo, fotografando e dando aula. Um profissional cheio de qualidades como o café que nos apresentou.

    *** Para ampliar as fotos, basta clicar sobre elas

    Nós fizemos a Rota em junho de 2023 e pagamos R$ 180,00 por pessoa. Não posso dizer que seja um passeio barato, mas valeu cada centavo.

    Optamos por fazer o passeio na parte da tarde. Chegamos às 14h20 na Cafeteria Unique e saímos para o passeio pontualmente às 14h30. Toda a experiência, incluindo a degustação, durou 4 horas.

    A primeira parte do roteiro foi uma visita a uma propriedade parceira no município vizinho de Carmo de Minas, o Sítio da Torre, cerca de 30 minutos da Cafeteria. No trajeto, nos apresentamos e começamos a receber algumas informações sobre a Unique e os cafés especiais. Éramos quatro da família e mais um casal de jovens do Rio de Janeiro.

    Saímos do asfalto e um pouco à frente já passamos pela porteira da fazenda. Mais uma curta distância percorrida e fizemos a primeira parada em uma região de altitude, onde vimos uma plantação de café da variedade Geisha, plantada em janeiro de 2021. Ali aprendemos um pouco sobre algumas variedades de cafés e que o café maduro pode ser vermelho ou amarelo. Tiramos muitas fotos e apreciamos a bela vista.

    Já com um pouco mais de conhecimento, seguimos de carro por uma estrada interna passando por nascentes e plantações de café até chegarmos à segunda etapa. Agora era hora de conhecer mais sobre os cafés especiais e seu beneficiamento.

    No local, há sanitários e uma pequena edificação que abriga um mini museu, onde estão os certificados dos prêmios recebidos pelo produtor do Sítio da Torre e alguns itens que ajudam a contar a história da propriedade e do café.

    Vimos a separação e a secagem dos grãos e tivemos mais um momento de cultura sobre o processo de avaliação dos cafés e a nota necessária para ser classificado como Especial. Caminhamos um pouco e passamos pelos pés de café, bem grandes, para chegar aos terreiros de secagem e conhecer mais sobre o processo.

    Uma curiosidade: Minas Gerais tem obtido as melhores pontuações de cafés em concursos. Atualmente, o recorde de pontuação dos cafés no Cup of Excellence, principal concurso de qualidade no mundo, pertence à fazenda de Sebastião Afonso da Silva, do município de Cristina (MG). O café atingiu a pontuação de 95,18 em uma escala que vai até 100 o valor máximo. 

    Já estava muito bom até aqui, mas ainda faltavam as duas etapas finais, que são realizadas na Cafeteria e Torrefação da Unique, em São Lourenço.

    Assim que chegamos fomos direto conhecer o processo de torrefação. Tivemos uma aula sobre o processo com o João Vitor, especialista no assunto. No local, há duas máquinas e muitos sacos de café. Acompanhamos uma torra desde o início e vimos o cuidado necessário para saber o ponto exato do fim da torra. Em uma área envidraçada ao lado é feito o empacotamento do café.

    Para coroar o passeio, a quarta e última etapa: a degustação dos cafés especiais, acompanhados de quitutes mineiros como pão-de-queijo, broa, bolo, queijo.

    Foram oferecidos quatro cafés especiais diferentes e cada um pôde avaliar seu preferido, mas antes, experimentamos um um café tradicional passado na hora para que pudéssemos comparar. A diferença é grande em todos os aspectos como sabor, aroma e aparência. Quem está habituado ao café comum pode até não apreciar tanto o café especial em um primeiro momento. É preciso ir aprimorando o paladar para tomar gosto, da mesma forma com os vinhos, as cachaças, as cervejas artesanais, os azeites e águas minerais.

    Finalizada a experiência da Rota do Café, fomos conhecer com calma a Cafeteria e os produtos que são vendidos lá.

    Uma outra coisa que chama a atenção são os vários pés de café de diferentes espécies plantados bem diante da Cafeteria.

    Recomendo muito este passeio ou melhor esta experiência.

    Posts Relacionados

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Ultimas Postagens

    ver todas

      Roteiro de Bike – Passadiço Ribeirinho de Loures – Lisboa (Portugal)

      Passadiço Ribeirinho de Loures O Passadiço Ribeirinho de Loures é uma passarela de madeira, do tipo palafita, às margens do Rio Tejo, sobre uma zona de sapais e lodaçais, destinada a pedestres e bicicletas, com de 6,15 km de extensão. Começa em Bobadela, na Ponte Ciclo pedonal do Rio Trancão (a 1,5 km da Ponte Vasco da […]

        Brasília na Trilha – 10 anos

        Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos em registrar esta e outras viagens […]

          Diamantina – MG

          Brasília na Trilha – 10 anos Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos […]

            Caminhada Costeira Coogee a Bondi – Sydney (Austrália)

            Coastal Walkway (caminhada costeira) é o percurso realizado a pé pela costa leste australiana entre as praias de Coogee e a badalada Bondi ou vice-versa (links de posts do Brasília na Trilha). O trecho de uma praia à outra é de 6 km, simplesmente fantástico, imperdível. Gastamos 3 horas para percorrer todo o percurso, parando […]

              Bondi Beach – Sydney (Austrália)

              Bondi (originalmente Boondi, pronuncia-se “Bon-dai”) dá nome ao bairro e à praia, uma das mais badaladas da região metropolitana de Sydney, localizada a apenas 7 km da área central da cidade. Bondi, North Bondi e Bondi Junction têm menos de 12 mil habitantes e formam um dos maiores centros comerciais e residenciais de Sydney. Há […]

                Coogee Beach – Sydney (Austrália)

                Coogee Beach foi a terceira e última praia de Sydney que conhecemos, em nosso quarto dia de Sydney (5 de setembro de 2023). Era inverno, mas o dia estava ensolarado, ótimo para caminhar pela praia, pela calçada da orla e para percorrer a costa entre Coogee e Bondi. Estava ventando menos e foi possível ficar […]