Contraste
  • Aumentar fonte
  • A+
  • Diminuir fonte
    A-

    Valle del Arcoiris – Petroglifos de Yerbas Buenas – Deserto de Atacama (Chile)

    O tour Valle del Arcoiris e Petroglifos de Yerbas Buenas foi um passeio 2 em 1, nosso terceiro destino no Deserto de Atacama, realizado no dia 6 de novembro de 2023. Normalmente, poderá encontrar este passeio apenas com o nome de Vale do Arco-íris, mas ele engloba as duas atrações.

    Saímos pela manhã, em torno de 7h30, quando a van passou para nos pegar no Hotel Don Raúl, em São Pedro de Atacama, onde estávamos hospedados. O passeio é de meio período e também foi contratado da Lucas Carvalho Turismo. Veja detalhes aqui. À tarde, fomos à Laguna Cejar.

    Neste passeio percorremos 140 km, aproximadamente, ida e volta. Fomos primeiro ao Valle del Arcoiris, chegando lá por volta de 8h30. Em Yerbas Buenas chegamos por volta de 11 horas e saímos às 12 horas, chegando em São Pedro de Atacama antes das 13 horas.

    Como comentei no post sobre São Pedro de Atacama, as agências recomendam fazer primeiro os passeios de baixa altitude e ir aumentando gradativamente para se acostumar, mas nem sempre é possível. Neste passeio, a altitude está entre 3.200 e 3.500 metros, boa opção para o terceiro dia.

    No dia anterior ao tour, a agência envia as instruções com o nome do guia, o horário que a van passará no hotel, dicas de vestuário e dá outras informações pertinentes. Recomenda-se levar protetor solar e labial, óculos de sol, boné ou chapéu, calçado confortável (são feitas pequenas caminhadas), água (levar no mínimo 1 litro) e agasalho (principalmente corta vento).

    O passeio pode ser feito em veículo próprio ou com agências de turismo.

    Valle del Arcoiris

    O Valle del Arcoiris fica na direção da Cordilheira Domeyko, onde apreciamos uma bonita paisagem e conhecemos um pouco sobre o aspecto geológico do local.

    Assim que chegamos paramos rapidamente na recepção do parque. Aproveite para ir ao banheiro. A entrada ao Vale do Arco-íris custa 5 mil CLP (R$ 27,00), pagos à parte e em dinheiro (peso chileno).

    Entrada do Vale do Arco-íris

    Há uma grande variedade de rochas no Vale do Arco-íris, com formatos e cores diferentes, cujos minerais ali encontrados (sulfato de cobre, argila, ignimbrita) são responsáveis pelos tons avermelhados, esverdeados, cinzas, brancos e amarelos das formações, um verdadeiro arco-íris, dando origem ao nome do vale.

    Durante o passeio fizemos pequenas caminhadas com o guia, que nos passou informações sobre o local, e também pudemos andar livremente para admirar a paisagem.

    Entre uma caminhada e outra o guia monta uma bela mesa de café da manhã ao lado da van. Lanche bem saboroso, com um pão maravilhoso, ovos mexidos feitos na hora, queijo, presunto, frutas, bolo, café e suco.

    Café da manhã no Vale do Arco-íris

    Seguimos para nosso próximo destino, Petroglifos de Yerbas Buenas, distante apenas 10 km do Vale do Arco-íris. No caminho, observarmos alguns animais da região, como guanacos e lhamas.

    Animais do Deserto de Atacama

    Petroglifos de Yerbas Buenas

    Assim que chegamos, paramos na entrada dos Petroglifos de Yerbas Buenas, que é administrado pela Asociación Indígena Turi Hualka de Santiago de Rio Grande, para o guia pagar os ingressos (valor de 5 mil CLP (R$ 27,00), pagos à parte e em dinheiro (peso chileno).

    Petroglifos de Yerbas Buenas
    Petroglifos de Yerbas Buenas

    Petroglifos de Yerbas Buenas pertence ao povoado de Yerbas Buenas, onde está o sítio arqueológico com petróglifos (pinturas rupestres em pedras: desenhos de lhamas, raposas, flamingos, macacos, dentre outros animais), além de inscrições que registram a forma como os grupos se organizavam como sociedade, encontradas na região de Rio Grande. As rochas são constituídas de cinzas vulcânicas. É o local de maior importância da arte rupestre no Deserto de Atacama. As manifestações nas rochas datam de mais de 3.500 anos e nos permitem conhecer mais sobre a cultura atacamenha, sua história, seus costumes e sua presença na região.

    Fizemos uma caminhada pequena ao redor das rochas, por uma trilha demarcada, enquanto o guia comentava sobre os desenhos.

    Petroglifos de Yerbas Buenas

    Há mais de 3 mil anos, as caravanas que passavam pela região acreditavam que tudo que fosse desenhado se tornaria realidade, por exemplo, um desenho de uma lhama prenha significava mais animais, consequentemente, mais carne e mais pele.

    Lhama
    Lhama
    Lhama

    Este lugar também foi utilizado nos tempos pré-hispânicos pelas caravanas, que descansavam ali em suas expedições em busca de comércio de bens.

    Terminado o passeio, seguimos para São Pedro de Atacama. Nós tínhamos pouco tempo para almoçar, pois às 14h30 sairíamos para o nosso quarto tour agendado, Laguna Cejar.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Ultimas Postagens

    ver todas

      Roteiro de Bike – Passadiço Ribeirinho de Loures – Lisboa (Portugal)

      Passadiço Ribeirinho de Loures O Passadiço Ribeirinho de Loures é uma passarela de madeira, do tipo palafita, às margens do Rio Tejo, sobre uma zona de sapais e lodaçais, destinada a pedestres e bicicletas, com de 6,15 km de extensão. Começa em Bobadela, na Ponte Ciclo pedonal do Rio Trancão (a 1,5 km da Ponte Vasco da […]

        Brasília na Trilha – 10 anos

        Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos em registrar esta e outras viagens […]

          Diamantina – MG

          Brasília na Trilha – 10 anos Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos […]

            Caminhada Costeira Coogee a Bondi – Sydney (Austrália)

            Coastal Walkway (caminhada costeira) é o percurso realizado a pé pela costa leste australiana entre as praias de Coogee e a badalada Bondi ou vice-versa (links de posts do Brasília na Trilha). O trecho de uma praia à outra é de 6 km, simplesmente fantástico, imperdível. Gastamos 3 horas para percorrer todo o percurso, parando […]

              Bondi Beach – Sydney (Austrália)

              Bondi (originalmente Boondi, pronuncia-se “Bon-dai”) dá nome ao bairro e à praia, uma das mais badaladas da região metropolitana de Sydney, localizada a apenas 7 km da área central da cidade. Bondi, North Bondi e Bondi Junction têm menos de 12 mil habitantes e formam um dos maiores centros comerciais e residenciais de Sydney. Há […]

                Coogee Beach – Sydney (Austrália)

                Coogee Beach foi a terceira e última praia de Sydney que conhecemos, em nosso quarto dia de Sydney (5 de setembro de 2023). Era inverno, mas o dia estava ensolarado, ótimo para caminhar pela praia, pela calçada da orla e para percorrer a costa entre Coogee e Bondi. Estava ventando menos e foi possível ficar […]