Contraste
  • Aumentar fonte
  • A+
  • Diminuir fonte
    A-

    São Pedro de Atacama – Deserto de Atacama (Chile)

    San Pedro de Atacama (São Pedro de Atacama) é uma pequena cidade no norte do Chile, com apenas 5 mil habitantes e a 2.400 metros de altitude. Da cidade saem os principais passeios para o Deserto de Atacama.

    A cidade de São Pedro era um centro de parada para os colonizadores espanhóis e teve início a partir da Igreja de San Pedro de Atacama, construída pelos jesuítas espanhóis no início do século XVIII.

    Como Chegar

    Para chegar a São Pedro de Atacama optamos pelo avião, pois fica a mais de 1.600 km de Santiago. O aeroporto mais próximo fica na cidade de Calama (região de Antofogasta) e o voo dura aproximadamente duas horas. Em Calama, pegamos um traslado para São Pedro de Atacama, que fica a apenas 100 km dali, percorridos em um pouco mais de uma hora. Para o trajeto, contratamos os serviços da empresa Transvip. Todo o contato foi feito com antecedência pelo Whatsapp e o pagamento foi feito em peso chileno, em espécie, no balcão da empresa no aeroporto de Calama.

    Saindo de Calama para São Pedro de Atacama
    Estrada para São Pedro de Atacama
    Estrada para São Pedro de Atacama
    Estrada para São Pedro de Atacama

    Deserto de Atacama

    O Deserto de Atacama tem cerca de 1 mil km de extensão, indo até a fronteira com o Peru. É o deserto mais alto e também o mais seco do mundo, raramente chove na região, já que as correntes marítimas do Oceano Pacífico não chegam ao deserto por causa de sua altitude. A maior parte do deserto é composta por terrenos pedregosos, areia e lagos de sal.

    As temperaturas no deserto variam entre 0°C à noite a 40°C durante o dia. Em função destas condições existem poucas cidades e vilas no deserto, uma delas é São Pedro de Atacama.

    Rua Caracoles

    A principal rua de São Pedro de Atacama é a Caracoles, onde estão vários restaurantes, lojas de artesanato, agências de turismo, hotéis, casa de câmbio, sorveteria, cafés, farmácia dentre outros estabelecimentos.

    É também no final da Rua Caracoles, na Praça Touris Tour que as vans de turismo deixam os turistas no retorno dos passeios.

    Ponto de chegada dos tours

    A cidade é bem simples e várias ruas não têm calçamento, como a Caracoles, e é esta rusticidade que lhe confere o seu charme. A cidade é repleta de hostels, hotéis e pousadas, além de muitos restaurantes. Alguns bares e restaurantes têm música ao vivo.

    Não tivemos muito tempo para explorar a cidade, conhecemos apenas a Praça e a Igreja de São Pedro.

    Igreja São Pedro de Atacama

    Igreja São Pedro de Atacama

    A Igreja de São Pedro de Atacama foi construída durante o período colonial espanhol, no século XVII (supostamente, é a segunda igreja mais antiga do Chile), sofreu modificações no século XVIII e ampliações no século XIX. A igreja foi declarada monumento histórico em 1951. Durante sua existência passou por muitos desastres naturais, como terremotos, e por vandalismo, como incêndios e destruição de imagens.

    A igreja foi construída em adobe, seu interior e seu exterior são pintados de branco, enquanto o altar é bem colorido. As paredes, o teto e a porta de entrada são construídos em madeira de algarrobo e cardón (madeira de cacto), unidos por couro de lhama. O telhado é feito de grandes vigas de madeira de algarrobo. No interior tem estátuas de Santa Maria e São José, padroeiro da igreja.

    Praça São Pedro de Atacama

    A Plaza de San Pedro (Praça de São Pedro) está localizada a um quarteirão da Rua Caracoles. Ao seu redor estão a Igreja de São Pedro, a polícia, a prefeitura e algumas construções históricas. Ela é toda arborizada, com vários bancos e algumas barraquinhas de artesanato.

    Restaurantes:

    Há uma grande quantidade e variadas opções de restaurantes na cidade, mas só fomos a dois.

    Restaurante e Bar Agua Loca
    Restaurante e Bar Agua Loca
    Restaurante Adobe

    Cafés:

    Também estivemos em dois cafés apenas.

    Empório Andino
    Franchuteria
    Franchuteria
    Franchuteria
    Franchuteria

    Onde nos hospedamos:

    A cidade tem diversas opções de hospedagem e nós ficamos no Hotel Don Raúl, reservado pela Carol Lobato da Copentur Viagens e o valor foi pago à empresa no cartão de crédito. O hotel tem instalações rústicas (como todos no Atacama), com piscina e área de descanso ao ar livre bem aconchegante. Ótima localização, na principal rua da cidade, a Caracoles, mas longe da muvuca. Bem pertinho ficam os restaurantes, as agências de turismo e as lojas de artesanato. O quarto e o banheiro são bem pequenos, mas a cama e a ducha são confortáveis. Tem ventilador, mas não tem frigobar, tv ou qualquer outro conforto extra. A forma de construção garante o conforto térmico do quarto, nem quente, nem frio. Como passávamos o dia nos passeios, nos atendeu muito bem. Chegávamos exaustos, só queríamos tomar banho e dormir. Uma boa opção é se hospedar em locais próximos à rua Caracoles, pois é o coração da cidade e também por ser o local onde as vans param no final dos passeios.

    Supermercado

    Valimport Supermarket
    Valimport Supermarket

    Sorveteria

    Sorveteria Cacao
    Sorveteria Cacao

    Passeios

    É aqui o principal. São tantas as opções que é até difícil escolher. As paisagens são maravilhosas, diferentes de tudo o que conhecemos: salinas, lagoas altiplânicas, fontes termais, gêiseres, fenômenos geológicos, arqueologia, vilas, gastronomia e muitas outras experiências.

    Sempre gostamos de fazer os passeios por conta própria, mas no Atacama, achamos que a melhor opção seria contratar uma agência e não nos arrependemos, pois alguns parques só permitem o acesso de turistas acompanhados de guias credenciados, carros privados não entram. Assim, contratamos os passeios da Agência do Lucas Carvalho, no mês anterior à viagem. A sede da empresa é em Santiago, mas a equipe é quase toda brasileira e o contato foi via WhatsApp. Ela também faz passeios na Argentina e na Colômbia. Depois de contratado, o Lucas faz semanalmente uma live com os clientes, explica sobre os passeios e dá várias dicas sobre documentos, compras, vestuário, baladas e etc. Muito instrutivo, especialmente para quem está viajando pela primeira vez para o exterior.

    No Atacama, assim como acontece em outros locais, existe um pool de agências bem organizado que, juntas, viabilizam os passeios conforme a demanda de turistas, otimizando a infraestrutura disponível de guias, transportes e motoristas. Assim, o tour foi contratado via Lucas Carvalho, mas realizados por terceiros. A preocupação com a qualidade do serviço prestado é geral e todos os passeios foram muito bem executados.

    Como eu mencionei antes, são tantas as opções de tours que é até difícil escolher. Fizemos sete passeios em cinco dias e acredito que foram ótimas escolhas. Além de eleger uma “experiência”, como chamam, tem a questão da altitude. As agências recomendam começar os tours pelos locais de menor altitude e deixar os de altitudes maiores para o final, a fim de que o corpo vá se acostumando. No entanto, nem sempre é possível seguir esta recomendação, já que os passeios são otimizados pelas agências, conforme expliquei anteriormente. Afora isso, questões climáticas ou de interesse das administradoras dos parques podem obrigar as agências a alterarem os roteiros. Então, faça sua programação, mas saiba de antemão que ela poderá ser alterada. Seja flexível e não se assuste com a altitude. Tomar chá de coca antes e mascar a folha durante o passeio ajudam muito a minimizar eventuais efeitos como enjoos e dores de cabeça. A folha de coca pode ser encontrada nas lojinhas de artesanato por cerca de dois reais o pacotinho. Hidrate-se bem e não terá problemas.

    Vou descrever aqui no blog cada um dos passeios que fizemos.

    Posts Relacionados

    1. Daniel Kenji disse:

      Que matéria completinha!!! Uma das melhores viagens da minha vida!!!! Show da natureza!!!

    2. Marcelo disse:

      Obrigado. Viagem incrível mesmo.
      Aproveite para nos seguir no instagram @brasilianatrilha e divulgar com seus amigos

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Ultimas Postagens

    ver todas

      Roteiro de Bike – Passadiço Ribeirinho de Loures – Lisboa (Portugal)

      Passadiço Ribeirinho de Loures O Passadiço Ribeirinho de Loures é uma passarela de madeira, do tipo palafita, às margens do Rio Tejo, sobre uma zona de sapais e lodaçais, destinada a pedestres e bicicletas, com de 6,15 km de extensão. Começa em Bobadela, na Ponte Ciclo pedonal do Rio Trancão (a 1,5 km da Ponte Vasco da […]

        Brasília na Trilha – 10 anos

        Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos em registrar esta e outras viagens […]

          Diamantina – MG

          Brasília na Trilha – 10 anos Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos […]

            Caminhada Costeira Coogee a Bondi – Sydney (Austrália)

            Coastal Walkway (caminhada costeira) é o percurso realizado a pé pela costa leste australiana entre as praias de Coogee e a badalada Bondi ou vice-versa (links de posts do Brasília na Trilha). O trecho de uma praia à outra é de 6 km, simplesmente fantástico, imperdível. Gastamos 3 horas para percorrer todo o percurso, parando […]

              Bondi Beach – Sydney (Austrália)

              Bondi (originalmente Boondi, pronuncia-se “Bon-dai”) dá nome ao bairro e à praia, uma das mais badaladas da região metropolitana de Sydney, localizada a apenas 7 km da área central da cidade. Bondi, North Bondi e Bondi Junction têm menos de 12 mil habitantes e formam um dos maiores centros comerciais e residenciais de Sydney. Há […]

                Coogee Beach – Sydney (Austrália)

                Coogee Beach foi a terceira e última praia de Sydney que conhecemos, em nosso quarto dia de Sydney (5 de setembro de 2023). Era inverno, mas o dia estava ensolarado, ótimo para caminhar pela praia, pela calçada da orla e para percorrer a costa entre Coogee e Bondi. Estava ventando menos e foi possível ficar […]