Contraste
  • Aumentar fonte
  • A+
  • Diminuir fonte
    A-

    Mercado Central – Belo Horizonte – MG

    O Mercado Central de Belo Horizonte ocupa um quarteirão inteiro no centro da cidade, sendo a entrada principal voltada para a Avenida Augusto de Lima. É uma região bastante movimentada.

    Mercado Central
    Mercado Central

    O Mercado Central está próximo do Palácio das Artes, da Praça da Liberdade, do Parque Municipal Américo Renné, da Praça Sete de Setembro e também das belíssimas Basílica Nossa Senhora de Lourdes, Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem e do Santuário São José – links do Brasília na Trilha.

    Para ir até o Mercado, as melhores opções são ônibus, transporte por aplicativo ou táxi. Não recomendo ir de carro particular ao centro, pois é difícil encontrar vaga e os estacionamentos particulares são caros. No segundo pavimento do Mercado tem estacionamento, mas também é bem caro.

    O Mercado Central, anteriormente Mercado Municipal de Belo Horizonte, foi criado em 7 de setembro de 1929, pelo então Prefeito Cristiano Machado, quando Belo Horizonte tinha apenas 31 anos e 47.000 habitantes. Ele nasceu da união das feiras da Praça da Estação e da Praça da atual rodoviária.

    O Mercado pertenceu à Prefeitura de Belo Horizonte até 1964, tendo sido comprado por comerciantes e e reformado. Está no mesmo endereço desde sua inauguração e é totalmente coberto.

    Com mais de 90 anos de história, o Mercado Central de Belo Horizonte é referência em centro de compras de Minas Gerais. Ele foi eleito o terceiro melhor mercado do mundo pela Revista Tam nas Nuvens, só perde para os mercados de Barcelona e de Londres.

    Mercado Central – 3º melhor mercado do mundo pela Revista Tam nas Nuvens

    O Mercado Central tem 24.000 m² de área e 400 lojas, que empregam diretamente 2.850 funcionários. Aberto de domingo a domingo (de segunda a sábado das 8 às 18 horas e aos domingos e feriados das 8 às 13 horas), recebe mensalmente um milhão e duzentas mil pessoas.

    No Mercado encontram-se boxes de produtos típicos da culinária mineira como queijos, doces, carnes, farinhas, quitandas e biscoitos caseiros; de artesanato, frutas, legumes, temperos, panelas, cachaças, linguiças, rapadura, pimenta, flores, brinquedos, móveis, produtos de sisal, palha e vime, louças, oratórios e imagens de santos, sacolas, peças de tear, entre muitos outros produtos. É inacreditável, e não é para menos, a quantidade de lojas vendendo queijos! O Mercado conta ainda com uma farmácia e alguns bares e restaurantes, onde turistas e locais apreciam pratos típicos como feijão tropeiro e fígado com jiló.

    De tudo que é comercializado no mercado, um comércio tem gerado polêmica: o de animais. Uma infinidade de pássaros, aves, peixes ornamentais, cães, gatos, coelhos.

    Após as reformas em 1964, o galpão recebeu mais um pavimento, o estacionamento. No mesmo pavimento tem um espaço para crianças e uma pracinha com bancos para descanso e pontos para recarregar o celular. Ali também foi construída uma Capela para abrigar a imagem da Virgem de Fátima. Os comerciantes solicitaram o seu reconhecimento e, em 1972, na Missa Inaugural, o Arcebispo Dom João Rezende Costa ratificou o reconhecimento da Capela de Nossa Senhora de Fátima pela Arquidiocese de Belo Horizonte.

    2º pavimento do Mercado
    Capela Nossa Senhora de Fátima – 2º pavimento do Mercado
    2º pavimento do Mercado

    Visitar o Mercado de Belo Horizonte é a oportunidade de conhecer melhor a cultura e a gastronomia mineiras. Agora, se quiser se aprofundar mais, o Mercado oferece uma visita guiada.

    Posts Relacionados

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Ultimas Postagens

    ver todas

      Brasília na Trilha – 10 anos

      Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos em registrar esta e outras viagens […]

        Diamantina – MG

        Brasília na Trilha – 10 anos Diário de viagem Há dez anos surgia a inspiração para a criação do blog Brasília na Trilha. A ideia nasceu quando estávamos a caminho de Diamantina – MG, para uma aventura em veículo 4×4, com minha esposa e nossos filhos, além de outros amigos também em carros 4×4. Pensamos […]

          Caminhada Costeira Coogee a Bondi – Sydney (Austrália)

          Coastal Walkway (caminhada costeira) é o percurso realizado a pé pela costa leste australiana entre as praias de Coogee e a badalada Bondi ou vice-versa (links de posts do Brasília na Trilha). O trecho de uma praia à outra é de 6 km, simplesmente fantástico, imperdível. Gastamos 3 horas para percorrer todo o percurso, parando […]

            Bondi Beach – Sydney (Austrália)

            Bondi (originalmente Boondi, pronuncia-se “Bon-dai”) dá nome ao bairro e à praia, uma das mais badaladas da região metropolitana de Sydney, localizada a apenas 7 km da área central da cidade. Bondi, North Bondi e Bondi Junction têm menos de 12 mil habitantes e formam um dos maiores centros comerciais e residenciais de Sydney. Há […]

              Coogee Beach – Sydney (Austrália)

              Coogee Beach foi a terceira e última praia de Sydney que conhecemos, em nosso quarto dia de Sydney (5 de setembro de 2023). Era inverno, mas o dia estava ensolarado, ótimo para caminhar pela praia, pela calçada da orla e para percorrer a costa entre Coogee e Bondi. Estava ventando menos e foi possível ficar […]

                Manly Beach – Sydney (Austrália)

                Manly foi a segunda praia de Sydney que conhecemos (a primeira foi Bondi), já em nosso terceiro dia na cidade (4 de setembro de 2023). Embora fosse inverno, a temperatura estava amena, em torno de 20ºC, ótimo para caminhar na praia e na calçada da orla. Apesar do vento frio, foi possível tomar um pouco […]